//
você está lendo...
ARQUITETOS-ENGENGEIROS TI, ARQUITETURA DE GOVERNANÇA E GESTÃO, ARTIGOS DE GOVERNANÇA & GESTÃO, DICA RÁPIDA DE GOVERNANÇA & GESTÃO, MINDS FOL

Artigo bem interessante Sobre (BusArq) + (GovGes) + (AgiWat) + (DevOps) + (CloPre) -> Fechando a cereja em (Compliance) e (Transformação Digital) ===>>> Globalização! Visões e Visões.

1260-busy-office-space

Olá pessoal tudo bem!

Hoje vamos trazer um pouco da nossa visão desse monte de sopinha de letras, será uma grande visão holística sim, mas também com a visão de alguns exemplos do dia-a-dia, com acoplamentos e mapas mentais personalizados nossos que buscam maior concatenação e fluidez dos raciocínios.

Outro ponto que não podemos cravar se é isso ou aquilo em sua empresas e nas empresas, mas entender um pouco melhor o que é o – (P + R = VA (Percepções + Resultado = Valor Agregado), ou seja, os contextos nos negócios, no que realmente este precisa e seus valores.

Vamos trazer também nesse post, uma visão claro com foco em TI (Tecnologia da Informação), mas sua relação ao Negócio e chapada aos objetivos estratégicos.

Em tempo sabemos que não existiram somente estas Sopinhas de Letras, outras Sopinhas viram a serem criadas, assim como outras evoluem, o mais importante é entender seus valores, como Costura no Negócio e os Timings (Tempo dele, do Negócio, das Pessoas, dos Processos e dos Profissionais que o implantaram).

Mas será que estás Sopinhas acima estão reinventado a roda?

3605461707_c562d7552f_z

[No mínimo, estão trazendo e exigindo dos profissionais novas visões, novos valores, novas posturas, mas principalmente a busca de trazer sempre o valor agregado para o negócio, costurar dentro da organização e no seu contexto, outro ponto é a quebra de silos e o acoplamento com a estratégia do negócio].

Abaixo vamos detalhes esses pontos mais um pouco.

“Mas uma coisa é fato, todos estes tem seu valor e trazem valores de agregação ao negócio”

Mas em que momento podem trazer valor para o Negócio?

  • Um caminho pode ser o Timing;
  • O entendimento do que é realmente o negócio precisa;
  • Trabalhar bem e Primeiramente os Processos e Pessoas;
  • Mudança Cultural;
  • Usar todo o Poder de Fogo da tecnologia;

Como trazem?

  • Uma vez entendido e costurado no negócio;
  • Um bom Timing;

Começam por onde?

  • Trazer somente o que é necessário para o negócio;
  • O entendimento do que é realmente o negócio precisa;
  • Trabalhar bem e Primeiramente os Processos e Pessoas;

São as pessoas que trazem?

  • O Início primordial;
  • Buscar conhecimentos;
  • Habilidades;
  • Inteligência Emocional;

Ou os Processos?

  • O Início também primordial;
  • Mapear, Desenhar;
  • Definir Planos de Ações;
  • Informações é a grande moeda;

Ou as tecnologias?

  • Estas trazem o Suporte para o Negócio;
  • Agilidades;
  • Transformação Digital como parte fundamental;

Ou são essas Sopinhas de letras por si só?

  • Um mix de tudo isso sim, mas orquestrada e alinhada com o negócio;
  • Liga sim é feita pro processos e pessoas;
  • Frameworks e Metodologias podem trabalhar de forma muito tranquilo e harmoniosa sim;

Antes vamos entender um pouco sobre:

[O Negócio (BusArq: Business + Arquitetura Corporativa)]

WhatsApp Image 2018-06-28 at 12.46.43

A informação é um recurso fundamental para todas as organizações e a tecnologia desempenha um papel significativo e decisivo, desde o momento que a informação é criada até o momento em que ela é destruída.

A tecnologia da informação está cada vez mais avançada, tornando-se pervasiva nas organizações e nos ambientes sociais, públicos e corporativos, afinal ela prover a maior moeda do Século 21 que é a informação.

TI promove toda a base de sustentabilidade para o negócio, mas como já afirmamos ela não pode e nem deve direcionar o negócio, para isso existem os Frameworks, Metodologias e os grande Processos, essa pirâmide invertida é um desastre.

Outro ponto importante nessa importância da TI sem pleonasmo rsrs, é que a mesma não pode virar um SILO e implantar tudo de novo no negócio, isso além de ser fora da realidade pode engessar tudo dentro da empresa e por incrivelmente que pareça pode ser altamente prejudicial, a Tecnologia é sempre bem-vinda se entendida para o negócio, as Informações precisam sempre estar disponíveis, confiáveis e íntegras (CID da segurança da informação).​

O momento:

Concatenar Tecnologia da Informação Relacionada com o Negócio, mas principalmente com as necessidades e especificidades do negócio, não é tão fácil e simples, de toda a forma todos são stakeholders (partes interessadas), que diretos e indiretamente são impactados com soluções implantadas, isso vai desde do Presidente da Empresa a Operação.

As 06 perspectivas dos pilares acima da imagem, visão FOL:

1 -Tem que vir Top-Down (a compra da ideia tem que vir de cima para baixo para acontecer);

2 -Sustentabilidade do Negócio, o que é bem diferente de sangria de visar lucro;

3 -Aumento diário dos níveis de capacidade dos Processos, esse organismo vivo tem que estar na veia;

4 – Frameworks, Metodologias e Tecnologias, podem e devem trabalhar de forma harmoniosa, mas se contextualizadas para e com o Negócio;

5 -ROO (Realização de benefícios para todos – do dono da empresa a parte operacional, Otimização dos riscos – positivos e negativos e deixa o negócio definir, e Otimização dos recursos – quando trabalhado no seu mais alto refino, a satisfação é altíssima;

6 -Demonstrar os benefícios reais e estratégias de engajamentos (Isso vai desde os indicadores dos resultados até mesmo se todos os colaboradores estão satisfeitos, saúde do ambiente);

As empresas que são de alta performance têm 02 pontos que primam: Pessoas e Processos, simples assim, o resto como: Tecnologias, Frameworks, Metodologias, Mindset (8, 9 ou 1000) e tudo que possa vir, somente agregam total valor se contextualizado no negócio e para o negócio.

2018-07-07_23-53-21

Pessoas é que trabalham e coordenam tudo dentro da organização, não reinventam também, são direcionadas  por todas essas sopinhas de letras acima.

WhatsApp Image 2018-06-28 at 12.48.34

Processos são trazem diversos valores, entre eles o fundamental é informações, fazem ligas e a contextualização com o negócio (chapa)

Um, estamos começando a entender e ter algumas respostas com relação a reinvenção da roda e se realmente existe.

Iniciamos: Uma empresa não existe sem pessoas e processos, antes de buscar qualquer salvador da pátria precisamos trabalhar os 02 acima. Não podemos esquecer o início de tudo é o planejamento estratégico com seu propósito (missão, visão, valores e etc), ai sim entregar para a grande Arquitetura Corporativa (áreas do negócio e TI), processos, frameworks, metodologias e tecnologias.

É fundamental entender os Macro Processos e Processos, assim como tratar as pessoas (profissionais com conhecimentos adequados, habilidades e suas atitudes).

Depois: De entendermos o que queremos e aonde queremos chegar, sim os Frameworks, Metodologias, MidSets (8, 9 e 100), trazem todos os valores no contexto desse DEPOIS do INÍCIO.

Uma das grande sacadas e dicas que deixamos, é essa bola preta das grandes passagens de bastão, o Comitê de Governança embutido: Compliance, Projetos, Processos e DevOps, para criarem principalmente a sustentabilidade e mudança de cultura.

[GovGes: Governança + Gestão]

gov_ges_ti

Durante a última década, o termo ‘governança’ ganhou um lugar de destaque no pensamento das organizações em resposta aos exemplos que demonstram a importância da boa governança e, do outro lado da balança, aos desafios dos negócios globais.

Organizações bem-sucedidas reconhecem que a diretoria e os executivos devem aceitar que a TI é tão significativa para os negócios como qualquer outra parte da organização.

Diretores e Gestores – seja em funções de TI ou de negócios – devem colaborar e trabalhar em conjunto a fim de garantir que a TI esteja inclusa na abordagem de governança e gestão. Além disso, cada vez mais leis e regulamentos estão sendo aprovados e estabelecidos para atender a essa necessidade.

A governança garante que as necessidades, condições e opções das Partes Interessadas sejam avaliadas a fim de determinar objetivos corporativos acordados e equilibrados, definindo a direção através de priorizações e tomadas de decisão, e monitorando o desempenho e a conformidade com a direção e os objetivos estabelecidos.

A gestão é responsável pelo planejamento, desenvolvimento, execução e monitoramento das atividades em consonância com a direção definida pelo órgão de governança a fim de atingir os objetivos corporativos.​

“Por fim, todo esse possível imbróglio que a área de Tecnologia da Informação com o Negócio, somente tem o devido refino e orquestração se  norteada por um grande e excelente planejamento estratégico e plano diretor de ti, plano de diretor de cada área (rh, marketing e outros), passando para Governança & Gestão, fechando com as pessoas e processos”

“Os Frameworks, estes  elevam a TI ao patamar que sempre mereceu e merece, a nível estratégico, estar do lado do negócio e apoiando desde o início de todas as suas necessidade e demandas, uma vez entendido isso é o casamento perfeito do Século”

[AgiWat: Agile + Waterfall]

agileandwaterfall

O AgiWat, não deixam de serem Frameworks, Metodologias e importantes de fato.

Aqui os conceitos Ágeis e Tradicionais de gerenciarem os Projetos, são muito mais que puramente serem respectivamente trazer mais Agilidade ou Burocratizar, são formas e conceitos consagrados de entregarem valor em certos formatos e contextos, simples assim.

Também sabemos que um papel de pão resolve toda uma situação de forma simples e eficaz.

Também não é enfeitar muito ou não, é mais uma vez contexto e necessidade que o Negócio precisa naquele momento, pode ser que mude conforme o Rollout.

Hoje o mercado, o mundo e as organizações estão mais rápidas, precisam e necessitam serem mais responsivas, isso virou commodities de sobrevivência em alguns momentos, logo e claro as atividades e processos precisam seguir o mesmo caminho.

Muito bem, isso significa que todos os projetos precisam serem ágeis? Ou somente alguns? Ou podem estarem no Equilíbrio dos 02 mundos? Ou são os mesmos mundos com caminhos de entregas diferentes? Se misturam?

O que percebemos claramente é o grande Mix desses Mundos, tem seus momentos apropriados!

O que de fato, não cabe mais é alguns amadorismos no negócio, e isso serve não somente para TI mas todas as áreas da grande Arquitetura Corporativa, esses Mix de Mundos são excelentes e primordiais.

Esperar muito tempo para iniciar algo que é importante, não é muito positivo, assim como ver muitos processos e burocratização para tudo também não é. Mas vamos pensar em um projeto da Nasa para enviar alguns astronautas para Marte ou Lua, sem diversos processos, burocracias será confiável enviar vidas?

Percebemos mais uma vez o Mix dos 02 mundos e suas necessidades no contexto, necessidades de passar por crivos e ritos de segurança é compliance.

Perceberam que o mix é bem vindo, assim como o famoso papel de pão? Sim e claro.

De fato os Sprints (pequenas entregas mais rápidas de alto valor agregado), traduzem os quick wins (ganhos rápidos), desde os stakeholders da mais alta direção até a operação, são bem interessantes e eficazes, engajamentos fluem mais fácil nesses formatos também.

Podemos quebrar grandes projetos em pequenos projetos, onde cada sprint pode ser necessário usar o AgiWat, porque não?

[DevOps: Desenvolvimento + Operação]

ReactiveDevops

E o DevOps, com a junção da área de Desenvolvimento e Operação é um excelente caminho?

Antes de partimos para o ferramental, é importante entendermos a Filosofia do DevOps, para quem não sabe e  no curso oficial e nas grande implementações vimos isso de forma latente também, tem que vir top-down, também é uma mudança de cultura, também é quebra de Silos, também é o alinhamento e Agregação de valores com o Negócio.

Uma mudança de paradigmas, descentralização brutal de cultura da culpa, e sim no foco de equipes em otimização extrema dos recursos, processos e tecnologias, fantástico não?

Assim, o ferramental vem como um grande apoio no proposto, mas sem pessoas e processos afinados e preparados será um grande desastre.

Sim, é muito novo e além de necessitar uma grande mudança cultural, tem a maturidade da operação (infra) em todo esse processo.

Mas saindo da caixinha rapidinho: Será que descemos muito o nível? e estamos tão somente de TI?

Não podemos negar que o rollout ocorre na área de Tecnologia da Informação, mas a automatização é para o Negócio, alinhar e entender é com DevOps também, não podemos esquecer disso. Isso sempre foi buscado, tentado, conseguidos em alguns momentos, mas o movimento explicita os fatos de forma sensacional.

A característica principal do DevOps é defender fortemente a automação e monitoramento em todas as fases da construção do software, da integração, teste, liberação para implantação e gerenciamento de infraestrutura.

DevOps tem o objetivo de fornecer em ciclos de desenvolvimento menores, frequência de implantação aumentada, liberações mais seguras, em alinhamento sempre com os objetivos de negócio, checks e monitoramentos constantes.

Mas percebemos claramente um pequeno encontro com as boas práticas de Itil, sim encontram-se, mais o foco no que tange processo de burocratização tem um formato diferente de entrega, no DevOps a automatização e Sprints pequenos desde o início da esteira são muito maiores, além de uma maior interação pelo menos na teoria dos times (torres Desenvolvimento e Operação Infra).

Assim como o Foco de DevOps é no DevOps, o Foco do Analista de Negócios é num todo, assim como Tecnologia trabalha num todo e holística.

A adoção do DevOps é conduzida por diversos fatores, no qual, abaixo citamos alguns:

  • Uso de processos e metodologias de desenvolvimento ágil;
  • Demanda crescente na taxa de produção de aplicativos;
  • Maior disponibilidade de infraestrutura na Cloud e virtualizada por provedores internos e externos;
  • Aumento crescente de automação de data center e ferramentas de gerenciamento de configuração;

[CloPre: Cloud + On-premise]

hybrid-architecture

Inserir minha empresa toda na Nuvem?

Ou Parte dela?

Ainda pensar em medos de usar a nuvem por segurança é o correto?

Mas e se o meu ambiente local crashar totalmente? Sabemos que existem diversas forma de alta disponibilidade e site backup, mas e o valor em comparação com a nuvem?

Como discutido acima, o contexto do negócio, suas aderências, conformidades e etc que irão falar mais alto.

O que não podemos descartar é os mundos são sem volta como DevOps e Cloud.

Um ambiente Híbrido é um caminho a seguir, pois, ir migrando em paralelo, avaliando e mitigando os custos e riscos é uma grande estratégia.

Não podemos esquecer a praticidade, agilidade de usar um DropBox, GoogleDrive, OneDrive né? Pois é isso é Cloud amigo. Não se preocupar com do backup, disso, boas práticas do serviço, certificações internacionais necessárias para estar compliance para uma entrega dessas e etc. Mas quando vamos ler os por menores de aceite, alguns dizem as informações contidas no meu espaço são minhas no momento que eu quiser e agora?

Mas será que a categorização do que é importante para serem acondicionados não cabe para minha pessoa?

Com o grande avanço tecnológico dos últimos anos, cada vez mais as empresas precisam se adaptarem a novas realidades, e manter-se bem atualizadas é o mínimo nessa acirrada briga por fatias do mercado competitivo.

Dentre os principais desafios diários estão:

– Custos viáveis e estáveis;
– Segurança e Riscos;
– O controle das informações;

Diante destes cenários e aos altos custos dos equipamentos de tecnologia necessários para montar um data center próprio, manutenção de licenças, hardware, e contratação de profissionais especializados, necessitam por parte do negócio encontrar mecanismos, e Cloud é um ótimos caminhos a pensar também, repassar esses custos e riscos.

Existem três modelos de nuvem: pública, privada e híbrida. Cada uma foi criada para atender às respectivas necessidades de cada empresa.

Nuvem Pública: serviços compartilhados para outras corporações, e segregação de acessos. Neste cenário, a empresa contratada é responsável por proteger os dados hospedados, manutenção de hardware e software, e o cliente apenas paga pelo serviço hardware e software que utilizar, podendo ser uma opção mais barata.

Nuvem Privada: serviços privados, uma opção mais personalizada e construída sob medida para atender as características daquela determinada empresa que não pode suportar essa infraestrutura dentro das suas dependências por necessidade, porém precisam que façam parte da mesma rede e, autonomia de controle pela sua equipe interna de TI, possuindo total controle sobre os dados e informações.

Nuvem Híbrida: é uma opção que busca atender ambos os modelos descritos acima equilibrando os gastos operacionais, determinando o que pode estar ou não em um ambiente público e/ou privado.

Outra opção seria o modelo On-Premises utilizada por empresas com grande espaço físico para manter uma infraestrutura de data center, como instalações seguras, manutenção rotineira como profissionais especializados, além de disponibilidade de uma grande quantia de investimento para hardware e software. Esse modelo tende-se ser bem menor daqui pra frente.

[Compliance]

the-top-five-soc-2-compliance-questions-answered

Muito mais que aderência das regras para o negócio do que vem externo, compliance é a conformidade do todo.

É também sair do legal e imoral, mitigar ainda mais o intocável e maior framework e metodologia a “Politicagem”.

Sim, a saúde do Negócio com as normas e regras, assim como a parte financeira, é um trabalho do cerne Compliance, isso é Sine Qua Non.

Uma das nossas principais dicas na imagem de passagens de bastão, é justamente o Comitê de Governança, que engloba Compliance, mudança de cultura lá de cima.

Comitê tem o papel de definição e top-down.

Dentro da organização nesse comitê, ter pessoas chaves da arquitetura corporativa é uma das melhores estratégias, e corrobora para a saúde e eficácia de todo o organismo VIVO que é o Negócio.

Especialistas que através de uma RACI (Responsible, Accountable, Consulted e Informed), irão tratar especificidades no contexto do negócio.

Todas as regras se aplicam e devem aplicar-se, mais seu prisma tem que ser muito maior que isso e compliance ao Negócio.

[Transformação Digital]

shutterstock_397637170-720x521

Transformação digital é um processo no qual as empresas fazem uso da tecnologia em pró de melhorar seus desempenhos, aumentarem o alcance competitivo de mercado e garantir resultados melhores e mais eficazes. Trata-se principalmente de uma mudança estrutural e cultural nas organizações dando um papel e foco essencial em tecnologias.

Assim como Cloud e DevOps que são mundos sem volta, a transformação digital vai na mesma de sobrevivências da empresa. Vai de encontro de tudo aquilo que já falamos acima do valor da TI, mas no contexto do negócio e para o negócio sempre.

Muito mais que palavras de modismo (Cloud, DevOps e Transformação digital), são necessidades imperiosas da melhoria contínua e substancial para qualquer negócio.

Importante: Não é um esforço da TI, mas da organização, com o pilar central Tecnologia.

Também trata-se de mudança cultural.

Esse progresso tecnológico e irreversível tem seus diversos impactos:

  • Tudo ficou bem mais rápido;
  • O volume de informações é infinitamente maior que antes e não para de aumentar;
  • Distração aumentou na mesma proporção no mínimo;
  • Além disso, a nossa vida ficou bem “mais fácil”, pois serviços e produtos automatizados oferecem uma comodidade intangível;

Transformação Digital trata de toda a organização, trata-se de progresso.

Tendências principais da transformação digital:

  • Big data;

    – Refere-se a um grande conjunto de dados armazenados.

  • IoT;

    – A Internet das Coisas, é uma rede de objetos físicos, veículos, prédios e outros que possuem tecnologia embarcada, sensores e conexão e é com rede capaz de coletar e transmitir dados.

  • Realidade virtual e aumentada;

    – Aquela realidade que você está vendo não existe, pois está sendo criada a partir de um computador. Ver projeções de objetos, planilhas e uma infinidade de outros objetos com os quais é possível interagir de diferentes maneiras.

  • Inteligência Artificial e Machine Learning;

    – Machine Learning (ML) é parte integrante da AI. São sistemas que conseguem acessar um grande número de dados, analisá-los e aprender a partir deles sem que seja explicitamente programado para isso.

  • Business Intelligence;

    – (BI), inteligência de negócios, refere-se ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios.

  • Mídias Sociais;

    – São sistemas projetados para possibilitar a interação social a partir do compartilhamento e da criação colaborativa de informação nos mais diversos formatos.

  • Cloud;
  • Mobilidade;
  • Agilidade;
  • Automação;

Parece que englobamos tudo que vimos até agora?

  • Sim, trata do todo holisticamente;

Reinventou a Roda?

  • Não, mais concatenou o positivo;

Ou os Conceitos uniram-se?

  • Sem dúvidas;

Transformação digital não trata apenas de automatização dos processos ou adoção de tecnologias. É muito mais abrangente pois envolve mudança s significativas no MindSet e Modus Operandi da empresa, com viés também na transformação dos seus modelos de negócios.

Para fazer a transformação digital no seu negócio é importantíssimo compreender sua essência e seus objetivos.

Uma verdadeira transformação é aquela que realiza uma reinvenção do modelo organizacional, e não simplesmente trocar ou deslocar de pessoas ou caixinhas.

[Transformação Digital]

Cultura-e-Globalização-Vantagens-e-Desafios-15

A globalização é um dos processos também sem volta e com diversos impactos positivos e negativos.

Globalizar é unir as forças, seus poderes, suas culturas, seus modelos de negócios, suas boas práticas que vão para o mercado como commodities e viram melhores práticas nos seus contextos.

A Globalização é um processo de aprofundamento das relações econômicas, sociais, culturais e políticas entre os povos espalhados pelo mundo sim.

Globalização não é dividir fronteiras, é unir valores e o melhor.

Percebemos diariamente a Globalização em alguns jargões e termos americanizados, nos frameworks e metodologias, infiltrou-se aos poucos e em tudo que já falamos sim.

Não podemos esquecer que isso já vem de muito tempo no Brasil especificamente, desde os portugueses, isso porque começam as relações econômicas, sociais, culturais e políticas entre os povos que aqui viviam e os colonizadores.

Características da Globalização:

  • Integração social, econômica e política;
  • União de mercado mundial (relações comerciais e financeiras);
  • Fortalecimento das relações internacionais;
  • Aumento da produção e do consumo de bens e serviços;
  • Avanço tecnológico e dos meios de comunicação;
  • Instantaneidade e velocidade das informações (por exemplo, via internet);
  • Aumento da concorrência econômica e do nível de competição;
  • Surgimento dos blocos econômicos e desaparição das fronteiras comerciais;
  • Ampliação do uso de máquinas na execução de tarefas;
  • Crescimento da economia informal;
  • Valorização de mão-de-obra qualificada;
  • Privatização de empresas estatais;

São influencias sim externas que impactam internamente dentro das corporações (Grandes, Médias e Pequenas), nos Quiosques, nas Padarias e etc, mas também em nossas vidas.

E agora como absorver isso?

Fazendo uma nova análise de tudo que falamos destacamos:

  1. Um bom planejamento estratégica da vida e das empresas;
  2. Processos eficazes;
  3. Planos de Ações;
  4. Frameworks e Metodologias como norteadores;
  5. Assim vai;

Finalizo amigos, que te agradeço imensamente por ter chegado até aqui nessa leitura, vamos juntos, vamos discutir, vamos compartilhar, vamos transformar e evoluir!

Grande abraço a todos FOL!

pp  Ninja-ArqengTI.fw

 

Anúncios

Sobre Fábio FOL

Profissional com mais de 17 anos de experiência em empresas Multinacionais, de Petróleo,Governo Federal,Ministério de Minas e Energia e Centros Autorizados Microsoft.Experiência em ambientes 24/7 e de missão crítica,Site de Contingência, Relacionamento com parceiros.Atuação,Implantação e gerenciamento em projetos de Infraestrutura física e lógica, Wireless Corporativa e outros.Certificados da Microsoft, Itil e Pmbook (Projetos),todos relacionados com infraestrutura, Gerenciamento, Soluções voltadas para estações de trabalho, Clientes Corporativos e Servidores High End.Forte em liderança de pessoas, Itil Melhores Práticas em TI, Gerenciamento e Gestão de projetos, Mapeamento de processos.Conhecimentos avançados no pacote Office da Microsoft e produtos voltados para colaboradores corporativos como: SharePoint e Mensagem Instantânea. Criação de Projetos Básicos e SOX (Alinhamento de Processos). Conhecimento Avançados em Sistemas operacionais Server Windows e File Server Linux, Hardware de Computadores, Desenhos Técnicos, Cobit, tendo como foco Administração de Redes e Gestão. Enfim, ser sempre visionário e estar preparado para todos os recursos que a empresa possuir, sempre procurando agregar conhecimentos na busca incessante pela boa formação profissional, ainda, caso se faça necessário ajudar à integração e valoração da equipe, para que os benefícios venham como conseqüência, contudo, sinto-me preparado para o cargo em que no momento vislumbro junto à empresa a fim de contribuir com a sua trajetória, sendo parte integrante da mesma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: